Para que serve o sulfato de dehidroepiandrosterona?

Sulfato de Dehidroepiandrosterona (DHEA) é um hormônio natural produzido por nosso corpo.

Para que serve o sulfato de dehidroepiandrosterona?

Compartilhe nas redes sociais!

O que é dehidroepiandrosterona?

O Sulfato de Dehidroepiandrosterona (DHEA) é um hormônio naturalmente produzido pelo corpo humano. Também pode ser feito em laboratório a partir de produtos químicos encontrados no inhame selvagem e na soja.

No entanto, o corpo humano não pode produzir o Sulfato de Dehidroepiandrosterona DHEA a partir desses produtos.

Então, simplesmente comendo inhame selvagem ou soja não aumentará os níveis de Sulfato de Dehidroepiandrosterona.

A DHEA é um hormônio produzido pelas glândulas adrenais, que fica perto dos rins e no fígado.

Nos homens, o DHEA também é segregada pelos testículos.

É alterado no corpo para um hormônio chamado androstenediona.

A androstenediona é então transformada em hormônios masculinos e femininos principais.

O Sulfato de Dehidroepiandrosterona serve como precursor dos hormônios sexuais masculinos e femininos (andrógenos e estrogênios ).

Os níveis de Sulfato de Dehidroepiandrosterona no corpo, certamente, começam a diminuir após os 30 anos.

Todavia, essa diminuição ocorre mais rapidamente em mulheres do que em homens.

O Sulfato de Dehidroepiandrosterona é tomado por via oral.

Não só para retardar ou reverter o envelhecimento, mas também para melhorar as habilidades do pensamento e memória em pessoas mais velhas. E assim diminuir o progresso da doença de Alzheimer .

Sulfato de Dehidroepiandrosterona para que serve?

Sulfato de Dehidroepiandrosterona para que serve?
Sulfato de Dehidroepiandrosterona para que serve?

Atletas e praticantes de musculação tomam DHEA  para melhorar o desempenho físico e ganho de massa muscular magra.

O Sulfato de Dehidroepiandrosterona igualmente serve para disfunção sexual e para melhorar o bem-estar e a sexualidade. Não só em homens bem como em mulheres.

Da mesma forma, é usado para prevenir artérias obstruídas , câncer de mama , infertilidade , diabetes e síndrome metabólica .

Algumas pessoas tomam DHEA  para tratar o lúpus eritematoso sistêmico (SES), uma condição imunológica caracterizada por boca seca e olhos secos ( síndrome de Sjögren ).

Como também para; ossos fracos ( osteoporose), uma forma de distrofia muscular chamada distrofia miotônica, fibromialgia , esclerose múltipla (MS), baixos níveis de hormônios esteroides ( doença de Addison ), depressão , esquizofrenia , síndrome da fadiga crônica (SFC), dano muscular do exercício , doença inflamatória intestinal , retardar a progressão da doença de Parkinson , sintomas de abstinência e uma condição chamada atrichia pubis.

A DHEA, da mesma forma, serve para perda de peso , diminui os sintomas da menopausa , artrite reumatoide, e envelhecimento da pele.

As pessoas com HIV, eventualmente tomam DHEA  para aliviar a depressão e a fadiga.

As mulheres usam DHEA dentro da vagina para fortalecer as paredes da vagina.

Como também para aumentar a densidade mineral óssea e disfunção sexual e para uma condição pre cancerosa chamada displasia cervical .

Sulfato de Dehidroepiandrosterona Baixo

Os níveis de Sulfato de Dehidroepiandrosterona parecem diminuir à medida que as pessoas envelhecem.

Os níveis de DHEA do mesmo modo, parecem ser mais baixos em pessoas com certas doenças, como a depressão.

Os pesquisadores concluíram que o uso de DHEA suplementos, então,  pode prevenir algumas doenças.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação

Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação
Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação

Envelhecimento da pele.

Algumas pesquisas mostraram que tomar DHEA por via oral aumenta a espessura e a hidratação da camada superior da pele em idosos.

Além disso, pesquisas iniciais mostram que a aplicação de DHEA na pele por 4 meses melhora a aparência da pele em mulheres na pós-menopausa.

Depressão.

A maioria das pesquisas mostra que tomar 30-500 mg de DHEA por via oral diariamente melhora os sintomas de depressão.

No entanto, o uso de doses menores de 5 a 20 mg por dia ao longo de três semanas não parece melhorar a depressão.

Síndrome de fadiga crônica (SFC).

Pesquisas iniciais sugerem que tomar 25-100 mg de DHEA diariamente por 6 meses reduz os sintomas do SFC.

Doença pulmonar (doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC)).

Pesquisas iniciais sugerem que tomar 200 mg de DHEA diariamente durante 3 meses melhora não só a função pulmonar bem como a distância de caminhada em pessoas com DPOC.

Artérias entupidas.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação-arterias entupida
Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação-arterias entupida

A pesquisa populacional mostra que ter baixos níveis sanguíneos de DHEA está associado a um risco aumentado de artérias obstruídas nos homens.

No entanto, não está claro se tomar DHEA pode ajudar a diminuir o risco de artérias obstruídas.

Dano muscular do exercício.

Pesquisas iniciais mostram que tomar DHEA duas vezes ao dia durante 5 dias melhora a dor muscular em homens que competem em um programa de exercícios.

HIV / AIDS.

A pesquisa mostra que as pessoas com HIV tendem a ter níveis mais baixos de DHEA.

Além disso, níveis mais baixos de DHEA parecem estar ligados à gravidade da doença do HIV.

Como resultado, há interesse em usar DHEA em pessoas com HIV / AIDS.

Estudos iniciais sugerem que tomar DHEA pode melhorar acima de tudo a saúde mental e a qualidade de vida dos pacientes HIV.

No entanto, a DHEA não parece realmente afetar o processo de doença do HIV em si.

Infertilidade.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação-infertilidade
Sulfato de Dehidroepiandrosterona indicação-infertilidade

A pesquisa sobre a eficácia da DHEA para a infertilidade é conflitante.

Algumas pesquisas populacionais sugerem que tomar DHEA por via oral diariamente durante pelo menos 2 meses, pode então,reduzir o risco de aborto espontâneo.

Outras pesquisas sugerem que tomar 75 mg de DHEA diariamente antes da fertilização in vitro (FIV) aumenta assim a chance de engravidar em mulheres que são inférteis, incluindo aquelas com função ovariana reduzida.

Doença inflamatória intestinal.

Pesquisas iniciais mostram que tomar 200 mg de DHEA por via oral diariamente por 8 semanas reduz os sintomas da doença inflamatória do intestino em pacientes com doença de Crohn ou colite ulcerativa.

Sintomas da menopausa.

Algumas pesquisas sugerem que tomar 10-25 mg de DHEA por via oral por 12 meses reduz os sintomas, incluindo ondas de calor.

Além disso, a inserção de um produto DHEA (Vaginorm, Recipharm, Karlskoga, Suécia) na vagina por 12 semanas parece aumentarnão só a força na parede vaginal bem como melhora a atividade sexual. Principalmente em mulheres na pós-menopausa.

Mas outras evidências sugerem que tomar DHEA diariamente melhora os sintomas psicológicos da menopausa.

Síndrome metabólica

DHEA pode reduzir os riscos de desenvolver síndrome metabólica.

Que é um conjunto de condições que colocam as pessoas em alto risco de doença cardíaca.

Há evidências precoce de que a DHEA pode reduzir alguns dos riscos que tornam os homens e mulheres com excesso de peso mais propensos a desenvolver síndrome metabólica.

Os fatores de risco que a DHEA parece diminuir são: Obesidade, gordura na cintura e altos níveis de insulina.

distrofia miotônica

Uma condição hereditária com muitos sintomas, incluindo perda muscular (distrofia miotônica).

Tomar de 100 a 400 mg de DHEA diariamente durante 12 semanas pode não afetar a força muscular em pessoas com distrofia miotônica.

No entanto, a administração de DHEA através de injeções parece melhorar a função diária, a função cardíaca bem como a força muscular.

Osteoporose.

Tomar DHEA por via oral diariamente parece melhorar a densidade mineral óssea
Tomar DHEA por via oral diariamente parece melhorar a densidade mineral óssea

A pesquisa sobre os efeitos da DHEA para a osteoporose é conflitante.

Tomar DHEA por via oral diariamente parece melhorar a densidade mineral óssea (DMO) não só em mulheres bem como em homens com osteoporose ou osteopenia (pré-osteoporose).

A DHEA igualmente, pode aumentar a DMO em mulheres jovens com o distúrbio alimentar chamado anorexia nervosa.

No entanto, a análise da pesquisa clínica sugere que a DHEA não melhora a força óssea em mulheres na pós-menopausa.

Deficiência hormonal em homens (deficiência parcial de andrógenos).

Pesquisas iniciais sugerem que tomar 25 mg de DHEA diariamente por um ano melhora não só o humor, como também a fadiga e a dor nas articulações em homens mais velhos com deficiência hormonal.

Parto.

Pesquisas sugerem que dar DHEA ou DHEA sulfato (DHEA-S) por via intravenosa (por IV) a partir de 37 ou 38 semanas de gestação reduz o tempo até o início do trabalho.

Esquizofrenia.

As evidências sobre a eficácia da DHEA para a esquizofrenia não são claras.

Algumas pesquisas mostram que tomar DHEA por via oral melhora os sintomas de esquizofrenia.

A DHEA pode ser mais eficaz em mulheres do que em homens. Outras pesquisas mostram que não oferece nenhum benefício.

Disfunção sexual.

DHEA por via oral pode melhorar a função sexual em mulheres com diminuição da libido
DHEA por via oral pode melhorar a função sexual em mulheres com diminuição da libido

Tomar DHEA por via oral durante 24 semanas parece melhorar os sintomas.

Incluindo disfunção erétil e satisfação sexual global em homens com alguns tipos de disfunção erétil (ED).

No entanto, não parece ser útil se a disfunção erétil é causada por diabetes ou distúrbios nervosos.

Além disso, o DHEA não parece melhorar a disfunção sexual em homens com baixos níveis de hormônio androgênio ou com baixo desejo sexual.

Algumas pesquisas mostram que tomar DHEA por via oral pode melhorar a função sexual em mulheres com diminuição da libido tanto quanto as que estão na pós-menopausa.

Além disso, algumas pesquisas sugerem que a inserção de DHEA na vagina (Vaginorm, Recipharm, Karlskoga, Suécia) diariamente durante 12 semanas pode melhorar a função sexual em mulheres na pós-menopausa.

Mas outras pesquisas mostram que a DHEA não melhora a função sexual em mulheres pós-menopáusicas ou pré-menopáusicas.

Em pacientes do sexo masculino ou feminino com certos tipos de depressão, tomar DHEA por via oral pode melhorar a função sexual.

Melhora dos sintomas do lúpus (LES).

As evidências sobre a eficácia do DHEA para o LES são inconsistentes.

Algumas pesquisas sugerem que não oferece benefícios.

Porém, outras pesquisas sugerem que tomar DHEA por via oral junto com o tratamento convencional pode ajudar a reduzir o número de vezes que os sintomas se surgem e consequentemente, redução na dose de medicamentos.

Além disso, A DHEA também pode ajudar a sintomas de LES como dor muscular e úlceras na boca.

Perda de peso.

Pesquisas sugerem que a DHEA ajuda as pessoas idosas com excesso de peso que são susceptíveis de obter síndrome metabólica para perder peso.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona Contra indicações

Sulfato de Dehidroepiandrosterona Contra indicações
Sulfato de Dehidroepiandrosterona Contra indicações

DiabeteS:

O DHEA pode afetar o funcionamento da insulina no organismo.

Então, se você tem diabetes, monitore seu açúcar no sangue com cuidado se estiver tomando DHEA.

câncer de mama, câncer de uterina, câncer de ovário, endometriose ou fibromas uterinos :

O DHEA é um hormônio que pode afetar o funcionamento do estrogênio no organismo.

Assim sendo, se você tem alguma condição que possa ser piorada pela exposição ao estrogênio, não use DHEA.

Colesterol alto:

DHEA pode diminuir o “colesterol bom” (colesterol alto de lipoproteínas, HDL).

Portanto, se o seu nível HDL já é muito baixo, discuta DHEA com o seu médico antes de começar a tomar.

Problemas de fígado :

DHEA pode piorar os problemas do fígado. Assim, não use DHEA se tiver problemas no fígado.

Depressão e distúrbios do humor :

Existe alguma preocupação de que pacientes com história de depressão e transtorno bipolar possam ter alguns efeitos colaterais mentais se usar DHEA.

Pois, o DHEA pode causar mania (excitabilidade e impulsividade), irritabilidade e inapropriabilidade sexual em pessoas com distúrbios do humor.

Agora, se você tem um transtorno de humor, não se esqueça de discutir DHEA com o seu médico antes de começar a tomar.

Além disso, preste atenção a quaisquer mudanças em como você se sente.

Síndrome dos ovários policísticos:

Tomar DHEA pode piorar esta condição. Então, não use DHEA se você tiver SOP.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona interação com outros medicamentos

Sulfato de Dehidroepiandrosterona interação com outros medicamentos
Sulfato de Dehidroepiandrosterona interação com outros medicamentos

Anastrozol (Arimidex) interage com DHEA

O corpo muda a DHEA para o estrogênio no corpo.

O anastrozol (Arimidex) é usado para ajudar a diminuir o estrogênio no organismo.

Tomar DHEA juntamente com anastrozol (Arimidex) pode diminuir a eficácia do anastrozol (Arimidex).

Dessa forma, não tome DHEA se estiver tomando anastrozole (Arimidex).

Exemestane (Aromasin) interage com DHEA

O corpo muda a DHEA para o estrogênio no corpo.

Exemestane (Aromasin) é usado para ajudar a diminuir o estrogênio no organismo.

Então, tomar DHEA juntamente com exemestano (Aromasin) pode diminuir a eficácia do exemestano (Aromasin).

Portanto, não tome DHEA se estiver tomando exemestane (Aromasin).

Fulvestrant (Faslodex) interage com DHEA

Alguns tipos de câncer são afetados por hormônios no organismo.

Os cânceres sensíveis ao estrogênio são cânceres que são afetados pelos níveis de estrogênio no corpo.

Fulvestrant (Faslodex) é usado para este tipo de câncer de estrogênio.

A DHEA pode aumentar o estrogênio no organismo e diminuir a eficácia do fulvestrant no tratamento do câncer.

Desse modo, não tome DHEA se estiver a tomar fulvestrant.

Insulina interage com DHEA

A insulina também pode diminuir a quantidade de DHEA no corpo
A insulina também pode diminuir a quantidade de DHEA no corpo

A insulina é usada para diminuir o açúcar no sangue.

A insulina também pode diminuir a quantidade de DHEA no corpo.

Então, ao diminuir a DHEA no organismo, a insulina pode diminuir a eficácia dos suplementos de DHEA.

Letrozol (Femara) interage com DHEA

Alguns tipos de câncer são afetados por hormônios no organismo.

Os cânceres sensíveis ao estrogênio são cânceres que são afetados pelos níveis de estrogênio no corpo.

O letrozol (Femara) é usado para este tipo de câncer de estrogênio.

A DHEA pode aumentar o estrogênio no organismo e diminuir a eficácia do letrozol (Femara) no tratamento do câncer.

Em virtude disso, não tome DHEA se estiver tomando letrozol (Femara).

Medicamentos alterados pelo fígado

Substratos do Cytochrome P450 3A4 (CYP3A4) interagem com DHEA
Alguns medicamentos são alterados e quebrados pelo fígado.

DHEA pode diminuir a rapidez com que o fígado quebra alguns medicamentos.

Tomar DHEA juntamente com alguns medicamentos que são discriminados pelo fígado podem aumentar os efeitos e efeitos colaterais de alguns medicamentos.

Então, antes de tomar DHEA, fale com o seu médico se estiver tomando medicamentos que são alterados pelo fígado.

Alguns medicamentos alterados pelo fígado incluem lovastatina (Mevacor), cetoconazol (Nizoral), itraconazol (Sporanox), fexofenadina (Allegra), triazolam (Halcion) e muitos outros.

Tamoxifeno (Nolvadex) interage com DHEA

Alguns tipos de câncer são afetados por hormônios no organismo.

Os cânceres sensíveis ao estrogênio são cânceres que são afetados pelos níveis de estrogênio no corpo.

O tamoxifeno (Nolvadex) é usado para ajudar a tratar e prevenir esses tipos de câncer.

A DHEA aumenta os níveis de estrogênio no corpo.

Ao aumentar o estrogênio no corpo, a DHEA pode diminuir a eficácia do tamoxifeno (Nolvadex).

Dessa forma, não tome DHEA se estiver a tomar tamoxifeno (Nolvadex).

Triazolam (Halcion) interage com DHEA

O corpo quebra o triazolam (Halcion) para se livrar dele.

DHEA pode diminuir a velocidade com que o corpo quebra triazolam (Halcion).

Tomar DHEA juntamente com triazolam (Halcion) pode aumentar os efeitos e efeitos colaterais do triazolam (Halcion).

Outras interações

Seja vigilante com esta combinação.

Medicamentos para inflamação (corticosteróides) interagem com DHEA

O corpo naturalmente produz o DHEA.

Alguns medicamentos para inflamação podem diminuir a quantidade de DHEA que faz o corpo.

Tomar alguns medicamentos para inflamação pode diminuir os efeitos de tomar pílulas DHEA.

Alguns medicamentos para inflamação incluem dexametasona (Decadron), hidrocortisona (Cortef), metilprednisolona (Medrol), prednisona (Deltasone) e outros.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona como tomar:

Sulfato de Dehidroepiandrosterona como tomar
Sulfato de Dehidroepiandrosterona como tomar

As seguintes doses foram estudadas em pesquisa científica:

Para o envelhecimento da pele:

Foram utilizados 50 mg de DHEA diariamente durante 12 meses.

Para depressão:

Foram utilizados 30-450 mg de DHEA diariamente durante 6 semanas, sozinhos, como também, ou em conjunto com drogas antidepressivas.

A DHEA também foi igualmente, utilizada em doses crescentes até 500 mg por dia durante 8 semanas.

Sulfato de Dehidroepiandrosterona onde comprar

O Sulfato de Dehidroepiandrosterona não é vendido em farmácia no Brasil.

Apenas importadores legalizados podem vender o DHEA.

Atualmente a marca mais vendida é a MRM ou KN Nutrition.

Conclusão:

Os efeitos tanto positivos quanto negativos do DHEA ainda são um mistério. Alguns especialistas indicam o produto, enquanto outros negam veementemente sua indicação.

Caso você sofra de alguns das contra indicações citadas acima, não use esse produto.

Esse artigo é meramente informativo, não desejamos assim, substituir a consulta de um médico especialista.

Consulte sempre seu médico antes de usar qualquer suplemento ou medicamento.

LEIA TAMBÉM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.