Após Aplicação de Óleo Mineral nos Músculos Homem Amputa Músculos do Bíceps

Um homem de 31 anos injetou um material semelhante ao silicone (Synthol) em ambos os bíceps e nos últimos 2 anos desenvolveu edema intermitente e doloroso em ambos os bíceps que era desconfortável causando calor e pressão

oleo mineral no musculo

As injeções de óleo mineral nos músculos ( intramuscular ) que geram depósitos à base de óleo de degradação lenta representam um tópico cada vez mais discutido na musculação(  ).

a injeção de óleo mineral são usados ​​puramente por razões cosméticas para aumentar o volume muscular sem aumento na força muscular.

Uma infinidade de produtos, geralmente contendo vários óleos de cadeia média, xilocaína e álcool como conservantes, ( Syntnol ) pode ser encontrada no mercado ilegal, bem como fórmulas caseiras (  ). 

O uso dessas misturas tem sido associado a complicações múltiplas, desde inflamação e edema até a síndrome do tipo embolia gordurosa ( ). O uso ilegal de enchimentos musculares com óleo mineral aumentou nas últimas décadas em alguns relatos de caso e séries de casos ( ) No entanto, nenhuma revisão abrangente sobre os efeitos adversos foi relatada até o momento na literatura médica (  ,  ,  –  ). O conhecimento desses efeitos pode ajudar a diminuir a morbidade relacionada ao uso de Synthol.

O que acontece quando aplica óleo mineral nos músculos?

Foi descrito que a inflamação é o primeiro sinal de reação de corpo estranho que aparece, geralmente 1 a 6 meses após a injeção. 

Após um período de latência, ulcerações e fístulas se desenvolvem no plano superficial, mas a difusão do óleo para planos mais profundos, como a derme reticular, pode levar a lipogranulomas, que são formações de oleoma na gordura perivascular e gordura perimuscular que causam a substituição da gordura subcutânea com óleo disperso no tecido fibroso.

Várias complicações após o uso de Synthol podem aparecer ao longo do tempo, como lesões granulomatosas, ulcerações, desfiguração, migração errática do óleo, embolia pulmonar e morte (  ). 

Além disso, reações sistêmicas podem ocorrer ao longo do tempo em pessoas que aplicam óleo mineral nos músculos.

Hipercalcemia devido a reação de corpo estranho foi descrita em pacientes que abusam do Synthol (  ,  ,  ). Foi relatado que a distribuição sistêmica resulta em efeitos adversos pulmonares (  ). 

Relato de caso de aplicação de óleo mineral nos músculos

Um homem de 31 anos injetou um material semelhante ao silicone (Synthol) por motivos cosméticos em ambos os bíceps 4 anos antes da apresentação, e nos últimos 2 anos desenvolveu edema intermitente doloroso em ambos os bíceps que era desconfortável e associado a calor e pressão.

Ele negou qualquer tipo de cirurgia de drenagem no passado, mas relatou que toda vez que tinha episódios de infecção semelhantes a este, precisava tomar antibióticos.

Aplicação de Óleo mineral no musculo – Antes e depois da cirurgia

Sua história cirúrgica pregressa incluía ressecção de lipoma no braço direito e remoção do abscesso nas costas em 2004.

O exame neurovascular e musculoesquelético de membros superiores estava dentro dos limites da normalidade com amplitude de movimento normal. Havia várias áreas de endurecimento e celulite nos braços bilaterais ao longo da área do bíceps.

O óleo sintol é um material semelhante ao silicone, considerado uma substância dopante, mas ao contrário dos outros, não traz nenhum benefício real para o corpo e nem aumenta o desempenho atlético. 

É feito de 85% de óleo, 7,5% de lidocaína e 7,5% de álcool. Sua função é inflar os músculos ao ser injetado diretamente no local do realce desejado (  ). 

O corpo humano não consegue assimilar o óleo de Synthol e, por isso, permanece muito tempo nos músculos, podendo causar inchaço. O aumento muscular requer várias injeções até que um nível satisfatório de tamanho e espessamento muscular seja alcançado. O óleo Synthol não contém esteroides anabolizantes.

Clique aqui e veja as imagens da cirurgia  ( ATENÇÃO IMAGENS CHOCANTES )

Como é retirado o óleo mineral do corpo?

Não existe um tratamento específico para retirar o óleo mineral do corpo ou dos tecidos; o objetivo do tratamento é conter a difusão da substância para interromper a disseminação para tecidos mais profundos e outros órgãos próximos.

A primeira terapia administrada aos pacientes consiste em antibióticos e esteroides durante a fase de inflamação aguda ( ). O tratamento cirúrgico pode ser uma opção de de tratamento. Na fase aguda da doença, a excisão cirúrgica do tecido lesado pode ajudar a remover os depósitos excessivos de óleo e as áreas afetadas quando há suspeita de lipogranulomas (  ,  ).

No entanto, o tratamento conservador deve ser considerado quando houver distribuição generalizada do óleo (  ). Iversen et al. descreveram o uso de bandagens compressivas em úlceras por injeção de óleo, sugerindo melhora da circulação e redução do edema devido à menor distância entre a pele e os capilares (  ). A terapia de compressão também foi aplicada por Henriksen et al e Ikander et al. com bons resultados (  ,  ).

Procedimentos cirúrgicos agressivos adicionais devem ser evitados devido ao risco de danificar os tecidos próximos, agravar lesões crônicas e predispor a grandes cicatrizes (  ). Portanto, nos estágios crônicos, procedimentos cirúrgicos conservadores podem ser realizados avaliando os riscos e benefícios sobre a condição do paciente e a possibilidade de melhorar a função e a dor caso algum tecido seja danificado (  ,  ).

Não está claro se algumas dessas substâncias são mais nocivas do que outras ou têm um padrão de complicação ou estratégia de tratamento diferente, e isso não é conhecido até o momento, dada a relativa escassez de informações publicadas sobre o assunto.

Conclusão

O uso de injeções de óleo mineral nos músculos por motivos cosméticos é uma prática perigosa. As comunidades médicas e esportivas devem estar atentas. Os efeitos adversos associados à injeção de Synthol  não são previsíveis, variando de complicações leves a fatais. O diagnóstico e o tratamento devem ser realizados precocemente para prevenir complicações graves.

  • Ácido Linoleico Conjugado (CLA) Emagrece?

    O ácido linoleico conjugado (CLA) é um ácido graxo ômega-6 encontrado naturalmente em produtos lácteos e carne bovina, principalmente de animais alimentados com capim. A quantidade de ácido linoleico conjugado na carne bovina e nos produtos lácteos de hoje diminuiu muito devido a mudanças na criação do gado e da sua dieta. Por causa disso, … Continue lendo “Ácido Linoleico Conjugado (CLA) Emagrece?”

Autor: Ulisses Veloso de Carvalho

Estudante de Nutrição, autodidata e um apaixonado por alimentação saudável, musculação . Minha meta é levar aos leitores do site Fanáticos Por Musculação as informações mais recentes do mundo fitness.

2 comentários em “Após Aplicação de Óleo Mineral nos Músculos Homem Amputa Músculos do Bíceps”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Sair da versão mobile