É Mito que Metabolismo Diminui com a Idade – Diz Estudo

metabolismo diminui com a idade

Um novo estudo publicado em agosto de 2021 na Science afirma que é um mito popular que o metabolismo diminui com a idade. Muitas pessoas pensam que o metabolismo, a taxa na qual o corpo queima energia, diminui na meia-idade, à medida que envelhecemos e perdemos massa muscular.

Perder peso para alguns é um problema, e á medida que envelhecemos fica mais difícil perder ou manter o peso ideal, isto acontece porque nosso metabolismo fica mais lento, e as mulheres tem maior dificuldade de perder peso do que os homens pois seu metabolismo é naturalmente mais lento. Mas segundo o estudo, nada disso é verdade!

Seu metabolismo diminui com a idade? 

Nesse estudo, os pesquisadores avaliaram o metabolismo dos participantes medindo o gasto energético total. Isso é a energia queimada em repouso e para realizar as atividades básicas diária e também a energia queimada durante a atividade física.

O estudo usou um método mede a quantidade de dióxido de carbono que as pessoas exalam durante as atividades diárias para determinar quantas calorias queimam.

Depois de coletar esses dados de 6.421 pessoas com idades entre 8 dias e 95 anos, juntamente com altura, peso e porcentagem de gordura corporal, os pesquisadores calcularam as taxas metabólicas médias para homens, mulheres e pessoas em diferentes grupos etários.

Os estudos indicaram que homens e mulheres tinham as mesmas taxas metabólicas, depois de contabilizar o tamanho do corpo e a massa muscular.

Também houve diferenças no metabolismo com base em quatro períodos distintos na vida dos participantes:

  • Desde a infância até 1 ano de idade, a taxa metabólica aumentou até a cerca de 50% mais alta do que durante a idade adulta.
  • De 1 a 20 anos, o metabolismo diminuiu quase 3% ao ano.
  • De 20 a 60 anos, o metabolismo não mudou.
  • Após os 60 anos, o metabolismo diminuiu 0,7 por cento ao ano

“Esses dados sugerem que a ‘chegada a meia-idade’, que todos nós pretendemos chegar, não causa nenhuma mudança no metabolismo como se pensava “, diz Rozalyn Anderson, PhD , coautora de um editorial que acompanha o estudo e um professor da escola de medicina e saúde pública da Universidade de Wisconsin em Madison. “É muito mais provável que as mudanças nas atividades físicas sejam realmente a causa da redução no metabolismo na meia idade.”

Essa é uma boa notícia, acrescenta a Dra. Anderson, porque o estudo sugere que a mudança de hábitos saudáveis ​​tanto na alimentação quanto a prática de exercícios físico pode ajudar muito, evitando o ganho de peso à medida que envelhecemos.

Isso também significa que as pessoas que ganham peso na meia-idade não podem simplesmente culpar o fato de ter seu metabolismo mais lento. Diz o principal autor do estudo, Herman Pontzer, PhD , professor de antropologia evolutiva e saúde global na Duke University em Durham, Carolina do Norte e autor de Burn , um livro sobre o metabolismo humano.

O Dr. Pontzer, que está na casa dos 40, diz que: “Sente que sua chegada a meia-idade reduziu sua energia. Ele diz que também se sentiu assim, como os participantes da pesquisa.

“Mas essas mudanças não não são devidas à desaceleração do metabolismo”, diz Pontzer. “Os dados são realmente claros que o gasto total de energia, as calorias que queimamos todos os dias, é muito estável dos 20 aos 60 anos.”

Limitações do estudo

Uma limitação do estudo, no entanto, é que os pesquisadores mediram o metabolismo apenas em um único ponto no tempo. A conclusão de que o metabolismo não muda dos 20 aos 60 anos não se baseia em seguir pessoas por mais de quatro décadas e medir objetivamente o metabolismo em vários pontos no tempo. Em vez disso, é baseado em leituras metabólicas médias de uma única avaliação de todos os indivíduos dentro dessa faixa etária no estudo.

“Especialistas no campo da biologia do crescimento humano nos ensinaram décadas atrás que você precisa de dados longitudinais”, diz Claude Bouchard, PhD , cadeira de genética e nutrição no Pennington Biomedical Research Center em Baton Rouge, Louisiana.

Outra limitação é que a análise não levou em consideração diminuições na massa muscular que acontecem ao longo do tempo ou diferenças na massa muscular entre homens e mulheres que podem resultar em uma taxa metabólica mais lenta, diz Samuel Klein, MD , diretor do centro de nutrição humana na Escola de Medicina da Universidade de Washington em St. Louis.

O estudo mediu a massa livre de gordura, que é principalmente músculo, mas também inclui osso e tecido conjuntivo.

Embora o estudo não tenha encontrado nenhum declínio na quantidade de energia gasta para cada quilo de massa livre de gordura na meia-idade, as pessoas perdem alguma massa muscular durante esse período da vida. Diz o Dr. Klein. Com menos músculos e menos massa magra, o gasto total de energia ainda assim diminuirá.

“Portanto, embora o gasto energético em relação à massa livre de gordura tenha permanecido constante dos 20 aos 60 anos, isso não significa que o gasto energético diário não diminua devido à diminuição da massa muscular”, diz Klein.

Da mesma forma, os homens normalmente têm mais massa magra do que as mulheres, portanto, tem um gasto energético total maior, embora homens e mulheres queimem as mesmas quantidades de energia para cada quilo de massa magra que possuem, diz Klein.

O estudo não analisou os hábitos alimentares e de exercícios dos participantes, que pode afetar o metabolismo e o peso ao longo do tempo.

Um estudo publicado no The New England Journal of Medicine acompanhou mais de 120.000 adultos ao longo de três décadas. No geral, as pessoas ganharam em média 1,5 K a cada quatro anos. Eles ganharam 760 g a mais com o aumento do consumo de batatas fritas e 450 g a mais com cada porção diária de açúcar. Eles também perderam 1,76 quilos quando aumentaram a atividade física e também ganharam menos peso quando consumiram alimentos mais saudáveis ​​como frutas, vegetais e alimentos integrais.

Exercícios aeróbicos de alta intensidade e a musculação, aumentam a massa muscular magra e são uma forma de aumentar o metabolismo em qualquer idade, diz Anderson. No entanto, como nem todos têm a mesma taxa metabólica de repouso, nem todos terão os mesmos resultados praticando os mesmos exercícios, mesmo quando são do mesmo tamanho e peso.

“Todos nós sabemos que dieta e os exercícios são fundamentais para ter uma boa saúde”, diz Anderson. “É bastante claro que a mesma medida não serve para todos.

Conclusão:

Segundo os estudos, o metabolismo não diminui com a idade. A principal causa do ganho de peso e gordura na meia-idade se dá principalmente a diminuição de massa magra e falta de atividade física. Embora o estudo possa ter limitações, outro estudo longitudinal feito por 30 anos, corrobora a afirmação do estudo recente.

Autora:

Andrea Menegoy

Revisor:

Ulisses Veloso

 

 

 Receba novos artigos em seu e-mail

Avalie nosso site

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para o topo